Cremação, crematórios: como funcionam?

Cremação Crematórios

De maneira extremamente simplista, a cremação tem como finalidade reduzir um cadáver a cinzas durante a cerimônia fúnebre.

Ao redor do mundo, dependendo da região e religião, os métodos de cremação podem variar. No ocidente o mais usual para a cremação, crematórios são construídos com fornos e câmaras frigoríficas exclusivos para esta finalidade.

Para termos uma ideia de como a cremação é antiga na humanidade, cientistas estudam a cremação de um homem, a cerca de 60.000 anos, na região onde hoje está localizada a costa leste da Austrália.

Nesta mesma localidade estudos apontam para a cremação de uma jovem mulher, conhecida entre os cientistas como “a Senhora de Mungo”, que ocorreu a cerca de 25.000 anos.

Em vários povos, como os gregos e romanos por exemplo, o ritual fúnebre da cremação, crematórios era considerado um destino nobre aos mortos, visto que o sepultamento era reservado aos suicidas, assassinos ou aos criminosos. O sepultamento também era utilizado para as crianças que faleciam e os dentes ainda não haviam “nascido”.

Atualmente a prática da cremação, crematório é bastante comum em alguns países pelos mais diversos motivos.

Enquanto que em Hong Kong, Inglaterra e Japão a cremação ocorre por serem países com grande população, mas pouca extensão de território, já na Índia e China, dentre outros países, adotam a cremação principalmente pela influência das religiões hinduístas e budistas.

Cremação, crematórios no Brasil 

Cremação e Cematórios

No Brasil, que sempre foi um país onde prevaleceu a religião católica, somente em meados da década de 60 que o tabu da cremação começou a ser quebrado.

Este é, sem dúvida, o principal motivo do primeiro crematório ser inaugurado somente no ano de 1974 na cidade paulista de São Paulo, o Crematório da Vila Alpina como é mais conhecido.

Sem contar, é claro, pela grande extensão territorial que o Brasil possui, sendo construídos facilmente vários cemitérios em uma mesma cidade.

Outro fator que está contribuindo para o aumento da cremação, crematórios sejam construídos por todo o território brasileiro é a conscientização sobre a importância para as próximas gerações sobre a preservação do meio ambiente.

A decomposição de um corpo que foi enterrado pelo método do sepultamento pode contaminar o solo, os lençóis freáticos e deixar várias substâncias poluentes.

No caso da cremação, o processo fúnebre é considerado limpo, pois os resíduos tóxicos e gases emitidos durante a queima do corpo são retidos pelos filtros de ar.

Na cremação o corpo libera apenas água e gás carbônico em quantidade muito pequena. Outros fatores positivos para a adoção da cremação é que, ao lançar as cinzas do ente querido, este não polui a natureza e também não ocupa espaço físico, o que é necessário no caso do sepultamento em um cemitério.

De maneira geral, além da preocupação com o meio ambiente, a cremação acaba sendo mais econômica do que o sepultamento convencional.

Para a cremação não é necessária a compra ou locação de terreno, jazigo e sua permanente manutenção.

A Funerária Morumbi dispõe de variados serviços como a Clínica de Reparação, cremação, sepultamento fora se São Paulo, transporte aéreo funerário, dentre outros.

Acesse o site www.funerariamorumbi.com.br ou ligue para (11) 2532-8314 para mais informações sobre os serviços disponíveis e os planos que atenderão suas necessidades.

Notícias relacionadas

Ver todas